Direitos humanos

A questão da hepatite não é apenas um problema epidêmico, mas é uma violação dos direitos humanos que afeta mais de 400 milhões de pessoas no mundo.

Embora os países tenham se comprometido a eliminá-lo, não apenas 10% deles estão no caminho certo para combater a doença, começando pela triagem dos infectados.

A doença não é algo que nos aparece, aqui e ali, o tempo todo, mas está praticamente estagnada em um grupo de vítimas que representam uma porcentagem significativa da população de cada país (existem alguns países com mais de 20% da população estar infectado).

Humberto Silva - Rotary

A questão da hepatite não é apenas um problema epidêmico, mas é uma violação dos direitos humanos que afeta mais de 400 milhões de pessoas no mundo.

Embora os países tenham se comprometido a eliminá-lo, não apenas 10% deles estão no caminho certo para combater a doença, começando pela triagem dos infectados.

A doença não é algo que nos aparece, aqui e ali, o tempo todo, mas está praticamente estagnada em um grupo de vítimas que representam uma porcentagem significativa da população de cada país (existem alguns países com mais de 20% da população estar infectado).